O inglês de 46 anos antigo rival de Tiger Woods, é um dos maiores campeões de sempre em Vilamoura, e junta-se aos seus compatriotas Eddie Pepperell e Andy Sullivan, o vencedor da prova em 2015

O antigo n.º1 mundial Lee Westwood e o ex-campeão do Portugal Masters Andy Sullivan juntam-se a Eddie Pepperell num trio inglês de luxo que irá competir no Dom Pedro Victoria Golf Course, em Vilamoura. O mais importante torneio de golfe português decorre de 24 a 27 de outubro, com o exclusivo Pro-Am no dia 23.Westwood fará a sua primeira aparição no único torneio português do European Tour desde que, há dez anos, conquistou no Algarve o 30.º título internacional da sua carreira, enquanto Sullivan somou o seu terceiro troféu na primeira divisão europeia no Dom Pedro Victoria Golf Course em 2015, com uma enorme vantagem de 9 pancadas sobre a concorrência –um recorde na prova.Em 2009, Westwood quebrou em Portugal um jejum de dois anos sem vencer no European Tour, batendo por 2 pancadas o italiano Francesco Molinari (campeão do British Openem 2018), graças a três voltas (em quatro) de 6 abaixo do Par, para um agregado de 23 abaixo do Par, o segundo melhor resultado de sempre na história do torneio.Essa vitória catapultou-o para um pico de forma que culminou no final dessa época com a vitória na Corrida para o Dubai, ou seja, sagrou-se n.º1 do ranking do European Tour. E logo no ano seguinte, tornou-se no primeiro inglês desde Nick Faldo em 1994 a ascender à liderança do ranking mundial.

«Tenho memórias felizes do Dom Pedro Victoria Golf Course, da minha vitória ali em 2009», disse Westwood, que alcançara 26 top-tens entre os seus triunfos no British Masters em 2007 e no Portugal Masters em 2009, sem elevar qualquer troféu durante esse período.

«Tive uma série de ‘quases’ entre essas duasvitórias e isso fez com que me sentisse muito feliz por ter finalmente cruzado a meta em Portugal», acrescentou.

«Muitos jogadores têm-me falado de como este torneio tem-se fortalecido nos últimos anos e estou desejoso de regressar e de testemunhar esse crescimento. Dá-me também a oportunidade de preparar-me para a defesa do título do Nedbank Golf Challenge (de 14 a 17 de novembro, na África do Sul). Portanto, estou entusiasmado com essa semana (em Portugal)», concluiu o inglês de 46 anos, que conta com 43 títulos na sua carreira, incluindo 24 no European Tour e 2 no PGA Tour (circuito norte-americano).

 

Quanto a Andy Sullivan, que foi parceiro de Westwood na seleção europeia da Ryder Cup em 2006 em Hazeltine (nos Estados Unidos), esteve quase a tornar-se no primeiro e único jogador a vencer o Portugal Masters em anos consecutivos.

Depois da vitória em 2015, curiosamente também com 23 abaixo do Par como Westwood, o inglês de 32 anos sagrou-se vice-campeão em 2016, ficando a apenas 1 pancada do irlandês Padraig Harrington, outro dos ilustres titulares do torneio português, com três Majors no seu currículo.

«O Portugal Masters é um evento para o qual olho sempre quando o calendário é anunciado», disse Sullivan.

«É um grande torneio e é sempre agradável regressar a um campo onde vencemos antes. Levo sempre a minha família comigo e eles gostam tanto de lá estar quanto eu –e nunca é demais ter um apoio adicional quando competimos», acrescentou o mais sorridente de todos os golfistas.

«Este torneio dá-nos a oportunidade de começarmos a ganhar um elã tendo em vista os três últimos torneios do ano. Quero mesmo terminar a temporada em força e este evento é a plataforma ideal para isso», concluiu ‘Sully’, vencedor de três títulos internacionais.

Eddie Pepperell, por seu lado, já ganhou por duas vezes no European Tour e também confirmou a sua presença no Dom Pedro Victoria Golf Course, com o objetivo de manter o seu estatuto de top-50 do ranking mundial, que dá-lhe acesso aos Majors e aos World Golf Championships.